Férias do Totó!

7 Dicas para Escolher um Pet Sitter Pro Seu Cão

COMPARTILHAMENTOS

Com as férias de julho chegando, a ansiedade de “onde deixar o Totó”, só aumenta mais e mais, enquanto tentamos ver todos os detalhes de última hora da viagem. Pra quem não pode levar o seu cão, têm algumas opções de “estadia” pro pequeno. Alguns conhecem hotéis de confiança, mas muitos acabam sendo muito caros para algumas pessoas. Também tem a opção da família, e amigos, mas nem sempre temos entes queridos por perto que possam cuidar dos nossos filhotes. mala-1024-605x556

Mas uma outra opção boa, fácil e confiável, é a opção de um/a “pet sitter”. O que não é nada mais que inglês para “babá de animais de estimação”. Ou no nosso caso aqui no BarkPost, um/a babá de cães!

Como saber se você está deixando seu cão com uma pessoa de confiança? Como escolher?

1. Pegue indicações com amigos

espaco-canino

Da primeira vez que tive que deixar a minha cadela sozinha, perguntei pros outros tutores do meu bairro, e recebi várias indicações, até decidir deixá-la com um senhor de um pet shop aqui perto da minha casa, altamente indicado. Ele busca em casa antes de você viajar, e deixa em casa na volta, e todos os cães amam ele. A minha cadela mesmo, não pode vê-lo na rua, que ela sai correndo, desesperada, querendo dar um abraço nele!

Pergunte pras pessoas nos parques, na rua quando for caminhar com seu pequeno, ou até pra amigos em redes sociais. Sempre terá um que conheça uma pessoa de confiança.

2. Faça uma reserva em um site de Pet Sitters

Da mesma forma que você pode ter reservado um hotel ou airbnb  para sua viagem, tem como escolher um lar pro seu cão online também! Hoje, em muitas cidades do Brasil, temos sites como o PetHub ou o DogHero, onde possamos escolher pessoas para ficar com nossos cães.

Nos sites, você consegue ver avaliações de antigos hóspedes, um perfil da pessoa, com localização, tipo de propriedade (casa ou apartamento), veículo para emergência, presença de outros animais e existência de área externa.

3. Peça fotos e indicações de “hóspedes” anteriores 

baba-cachorros

Conseguimos falar com o Eduardo Baer, dono da DogHero, e ele nos disse, que no caso do site deles têm uma entrevista rigorosa pra ser anfitrião, análise da casa por meio de fotos, e até mesmo levantamento de antecedentes criminais. Além disso, para tranquilizar ainda mais os responsáveis do animal quanto à segurança do serviço, a empresa oferece uma garantia de R$ 5 mil para emergências veterinárias.

Para indicações de amigos, peça fotos via whatsapp, Facebook, e email, pra você ver se curtiu o espaço, antes de fazer uma reserva.

4. Faça uma visita pré-viagem 

Uma vez eu tentei colocar a minha cadelinha com um anfitrião na PetHub. E ainda bem que fiz essa visita! Ela e a cadela do anfitrião não se deram bem DE JEITO NENHUM. Uma foi pra cima da outra, e foi um trem de louco.

Muitas vezes, é importante saber se a pessoa têm ou não cachorro. No meu caso, é melhor que a minha fique em casas de pessoas sem cães, porque ela é muito territorial. Mas mesmo se o seu for mais amigável, faça uma visitinha. É bom que você também conhece a pessoa e o espaço, e consegue ver se seu cão foi com a cara da pessoa.

5. Cabe no bolso? 

cachorro-vinho-dinheiro

No caso dos sites, a reserva, e pagamento é feita através da própria plataforma, e a maioria aceitam cartões (daí rola parcelar, uhulll). No caso do DogHero, o Eduardo nos passou a informação que, para os locais do site, que são Rio + São Paulo, o preço da estadia é estipulado por cada anfitrião, mas a média de valor do site é de R$50. Já o PetHub têm mais cidades na sua rede, e esse valor pode mudar, de acordo com a cidade.

Pense em valores de transporte até o lugar, pergunte se a pessoa busca em casa, e faça todo esse cálculo, antes de decidi com quem você vai deixar seu cãozinho, e se isso realmente cabe no seu bolso.

6. Comunicação Durante a Viagem

facetime

No DogHero, tem um app que os responsáveis pelo cachorro acompanham sua rotina por meio de fotos e vídeos que o anfitrião envia pela própria plataforma.

No caso do pet sitter do meu bairro, ele manda fotos dela brincando, andando na rua, e descansando na casa deles, via whatsapp.

Alguns preferem fazer ligações para ver os cães. Com a tecnologia wifi, você não precisa ficar longe do seu cãozinho! Só verifique antes, se a pessoa que vai cuidar dele vai ter acesso à essas ferramentas.

7. Faça o Seu Cão se Sentir Mais em Casa na sua Ausência 

mala-cachorro

Pronto, escolheu o anfitrião, tá tudo combinado! Mas pra fazer a malinha, veja se você leva coisas de casa, que seu cão tá acostumado à ter por perto. Alguma coberta com seu cheirinho, sua própria caminha, sua ração e potinhos. E claro, se tiver remédios, os seus remédios e instruções para o anfitrião!

É isso, minha gente. Boas férias para todos \o/

Links para sites de pet sitters:

DogHero

PetHub

PetSitters do Brasil

Babá de Animais